Maquiagem e História: variações sobre o mesmo tema

Maquiagem e Arqueologia

História: Muitos acham que a primeira mulher a utilizar delineador ou Kohl foi Cleópatra, porém em dinastias anteriores já haviam registros do uso do produto.

No início do século XX um busto da rainha egípcia Nefertiti foi encontrado por arqueólogos. Tal acontecimento foi tão marcante que as mulheres da década de 1920 queriam imitar Nefertiti com seus olhos cuidadosamente delineados. 
A partir de filmes de Holywood, como Cleópatra – A rainha do Nilo – o uso do delineador foi popularizado. Embora Nefertite tenha reinado 1.300 anos antes, a indústria cinematográfica insinuou que Cleópatra foi a primeira egípcia a se preocupar em cuidar da beleza!

 

Rainha Nefertiti – 1380 a.C
Rainha Cleópatra – 69 a.C.

As  gregas influenciadas pelas caravanas  romanas também gostavam muito de usar maquiagem. Contudo, as romanas foram precursoras no uso da máscara de cílios e não poupavam materiais para se fazerem mais atraentes.

 

Na idade média o hábito de usar maquiagem foi abandonado devido a crença de que o corpo representava o pecado. E assim o Kohl foi banido dos olhos e das penteadeiras das damas medievais, pois antes fazia parte de seu cotidiano devido ao contato com os povos árabes e egípcios durante as Cruzadas. Esses povos utilizam o Kohl até hoje.
História: Palidez Total na Idade Média
Com a Renascença ser bela tornou-se uma obrigação, o corpo e a beleza física tornaram-se importantes, muito embora tal condição não tenha estimulado, naquela época, hábitos de higiene. Os olhos marcados não aparecem nas pinturas dessa época, pois o foco era tornar o rosto branco e maçãs do rosto em tom rosado. Apesar de controversa, Maria Antonieta – consorte do rei francês Luís XVI – é ainda hoje considerada ícone fashion por muitos historiadores de Moda e Beleza.
Maria Antonieta

Maquiagem: Da Rainha Vitória até os nossos Dias

Rainha Victoria

Durante a era Vitoriana (1837-1901) reinou soberana a austeridade. As mulheres não usavam maquiagem, pois de acordo com os padrões europeus a palidez era considerada como símbolo de status.

Durante o período de 1880 a 1914, Belle Epoque ou Era Eduardiana (definições européias), somente bailarinas e cortesãs pintavam os olhos, como no exemplo acima.
Finalmente olhos delineados e esfumados têm destaque na maquiagem que também é composta por pó-de-arroz, rouge e muito batom vermelho rubi. Durante a década de 1920, o Khol que fora banido desde a idade média, volta com muita força, aliado ao que podemos chamar de uma espécie de máscara de cílios que era um bloco de cera que as mulheres derretiam e aplicavam com um bastão.

 

Na década de 1930 a pele clara deixou de ter importância. A maquiagem ganhou tons vibrantes e os olhos continuaram a ser delineados e para que fossem mais destacados ainda, os primeiros cílios postiços foram fabricados. A tendência do vermelho na boca continuou.

 

Bette Davis
Bette Davis foi uma grande atriz americana que interpretou com enorme talento muitas vilãs de Hollywood. Seus olhos eram grandes e amendoados e a atriz fazia questão de destacá-los ainda mais com uso de delineadores e máscaras para cílios. Isso teve enorme influência na forma em que as mulheres da época se maquiavam.
 
Audrey Hepburn
Pouco blush e muito pó-de-arroz era a recomendação da maquiagem nos anos de 1950, mas o ponto alto da make era os olhos delineados, cílios postiços, máscara de cílios e lábios intensos.

 

Twiggi
A modelo Twiggi inovou na forma de tornar os olhos mais expressivos: usou delineador para fazer o famoso gatinho, carregou bastante na máscara de cílios e nos cílios postiços, e ainda compôs a evidência dos olhos com o côncavo marcado com sombra. O destaque da maquiagem concentrava-se todo nos olhos.

 

Surfistas da Califórnia inspiraram a cor dos cabelos e a busca pela beleza natural. O foco da maquiagem dos anos de 1970 era a pele bronzeada e quanto aos olhos, a pedida eram sombras esverdeadas com muita máscara de cílios e delineador.
 

 

De um lado da história muito batom vermelho e do outro tons de rosa, azul, lilás e verde predominavam na maquiagem na década de 1980. Porém, era unânime o uso generoso de máscara de cílios e delineador.

 

Contrastes. Duas possibilidades de make up foram destaque nos anos de 1990: sombras claras e lápis na linha d’água para compor um look mais natural. No extremo oposto da proposta de menos é mais: reinavam os olhos esfumados com três tons de cinza muito delineador e cílios postiços.Resultado: olhos marcados.
Drew Barrymore
A partir da primeira década dos anos 2000,  tendência era pele corrigida, batons nude, muita máscara nos cílios e delineador.

Maquiagem, história e mudanças de paradigma

Lupita Nyong’o
Em 2014 a talentosa atriz ganhadora do Oscar de melhor atriz coadjuvante Lupita Nyong’o foi eleita pela revista norte americana  a mulher mais bonita do mundo. Pele cuidada e impecável é a tendência do momento. Além desses quesitos, cílios alongados com máscara, delineador e um pouco de ousadia nos olhos e na boca. O que realmente conta é o equilíbrio. 
Com a crescente produção de maquiagens que além de sua proposta original, também cuida da pele, a tendência é que cada vez mais as pessoas se preocupem em ter uma pele bem cuidada e saudável.
E você, como prefere a sua maquiagem?
Bjs,

Mariana Honorato

Amo tecnologia, maquiagens e afins, adoro ler e viajar. Sou casada, tenho um filho de doze anos. Resolvi fazer esse blog para compartilhar um pouco da minha interpretação daquilo que me interessa.

2 comentários em “Maquiagem e História: variações sobre o mesmo tema

  1. Parabéns, excelente busca e reconstrução histórica sobre maquiagem, máscaras de cílios e delineadores. Vi poucos que realizaram um trabalho de conteúdo com essa perspectiva. Legal.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

CommentLuv badge